Cuidados com o lago

As 5 liberdades dos animais aplicadas nos lagos ornamentais

Sem comentários

Nós humanos temos uma relação curiosa com os animais. Vivemos com bichos das mais diversas formas e que habitam os mais diferentes hábitats. Em muitos casos os adotamos como animais de estimação e somos totalmente responsáveis pelo seu bem-estar. Só o fato de sermos responsáveis por suas vidas já nos faz querer dar o melhor para eles. Também, um animal com alto nível de bem-estar é mais bonito, saudável e reproduz com maior fidelidade seus comportamentos naturais. Porém não se engane, bem-estar animal não é uma qualidade subjetiva, há uma vertente da ciência do comportamento animal dedicada ao seu estudo.

Há muitos anos biólogos, zootecnistas, naturalistas e até psicólogos buscam o melhoramento das condições de vida dos animais cativos. Em 1965 Roger Brambell propôs uma série de requisitos necessários para que os animais cativos tenham uma ótima qualidade de vida. Estes requisitos são conhecidos como as 5 liberdades dos animais e são, ainda hoje, internacionalmente aceitas.

As 5 liberdades dos animais

Figura 1: As 5 liberdades dos animais propostas por Roger Brambell. Proporcionando-as aos seus peixes eles terão bem-estar elevado.

Especificamente para lagos ornamentais, podemos tratar as 5 liberdades dos animais desta forma:

1. Livre de fome e de sede

Igual a nós, os peixes necessitam de nutrientes para o seu desenvolvimento. Deve ser oferecido aos peixes alimento de qualidade, que forneça tudo que necessitam. As rações Cubos tem excelentes níveis proteicos e de gorduras, um premix vitamínico e mineral completo para suas carpas e kinguios. Com relação à sede não há muito o que falar, se seu peixe sentir é porque algo muito ruim está acontecendo com ele e seu lago.

2. Livre de desconforto

Acesso a um ambiente adequado. Aqui estou falando não só da parte física do lago como também da química da água. Manter os parâmetros, principalmente amônia, nitrito, nitrato, pH e temperatura, adequados é essencial para o bem-estar dos animais de seu lago. A temperatura em um lago é a variável mais difícil de controlar, por isso ao popular seu lago, tenha em mente as espécies que podem suportar as temperaturas mais frias e mais quentes de sua região. Carpas e kinguios são especialmente indicados pois, além de sua beleza, toleram temperaturas muito baixas, que não são suportadas por diversas outras espécies. O espaço físico, no entanto, também é importante. Carpas são peixes de grande porte e portanto devem ser mantidas em lagos de ao menos 1.000 litros. Lagos menores comportam kinguios com conforto.

Espaço: uma das 5 liberdades dos animais

Figura 2: Espaço físico adequado é um dos principais quesitos para o bem-estar de peixes.

3. Livre de dor, aflições e doenças

O tratamento e diagnóstico de doenças em peixes é muito complexo. Não é difícil perdemos peixes que adoeceram, por isso a prevenção é a palavra-chave.

Em um lago já estável o principal motivo para os peixes adoecerem é a adição de um novo peixe infectado. Sempre faça uma quarentena para os novatos. Nunca adicione um animal ao lago sem antes quarentená-lo por no mínimo 15 dias.

Assim que o peixe chegar dê um banho de 2 minutos com Cubos Cristais de Sal na proporção de 30 gramas por litro de água, e na água da quarentena adicione 30g do mesmo produto para cada 10 litros de água. Isso eliminará parasitas externos e ajudará na osmorregulação do peixe que estará estressado com o novo ambiente.

Fique atento para qualquer sinal de doença. Alguns produtos, como o Cubos Koi Montmorillonite, podem ser adicionados à ração de seus peixes para aumentar sua imunidade, melhorando assim a resistência a doenças.

4. Livre para expressar seu comportamento natural

Conheça sobre a vida do seu peixe. Saiba se ele é um animal de cardume ou solitário, predador ou presa, em qual posição da coluna d’água se alimenta (fundo, meio ou superfície), diurno ou noturno (necessita de tocas durante o dia). Essas informações podem ser encontradas facilmente em sites, livros e revistas sobre lagos e aquários. Tendo as informações que você precisa, adeque seu lago da melhor maneira para seus peixes. Eles se sentirão mais à vontade e exibirão um comportamento mais próximo do natural, tornando a contemplação do tanque algo ainda mais prazeroso.

Comportamento natural: Uma das 5 liberdades dos animais

Figura 3: Conheça os hábitos de vida de seus peixes. Carpas são peixes que vivem em cardumes, não se sentindo bem quando estão sozinhas.

5. Livre de medo e estresse

A maioria dos peixes são onívoros, e comerão peixes menores se estes couberem em sua boca. Por isso atente-se em adicionar ao lago peixes de tamanhos similares para que não sejam predados. Por esse mesmo motivo, animais pequenos vêm os maiores como predadores, ficando estressados e muitas vezes entocados durante dias, deixando de se alimentar, podendo até morrer. Predadores externos devem ser considerados também.

Procure saber se na região onde o lago está ou será instalado é comum a ocorrência de animais como garças, Martins-pescadores e lontras. Dependendo do tamanho dos peixes até mesmo bem-te-vis se tornam vorazes predadores, por isso é bom verificar periodicamente se algum animal sumiu misteriosamente de seu lago.

O bem-estar dos peixes deve ser objetivo de todo laguista. Além de ficarem mais saudáveis e bonitos, os animais serão mais ativos e a contemplação do lago será mais prazerosa. Seguindo as 5 liberdades dos animais propostas por Brambell fica fácil dar aos nossos amigos a vida que merecem.

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios são marcados *