Filtragem do lago

Como lidar com um “boom” de algas?

4 Comentários

Neste post explicaremos uma das formas de tratamento do lago após ter desenvolvido um “boom” de algas. Quem não quer um lago com a água sempre cristalina, não é verdade? É comum o desenvolvimento de algas no lago que se formam no substrato, pedras, seixos, e na própria água. No entanto, essa multiplicação pode ocorrer de forma desenfreada, facilitada pela presença da radiação solar direta, grande quantidade de matéria orgânica (excesso de nutrientes) e oxigênio.

Veja como controlar as algas no lago ornamental

O legal é ter informações de como evitar a proliferação das algas no lago ornamental. Isso antes mesmo de montá-lo. Dessa forma, teremos maior sucesso para corrigir estes problemas. Porém, quando a proliferação de algas já ocorreu, não é o fim do mundo! Há diversos produtos no mercado que matam as algas. Existem, por exemplo, os algicidas, mas é importante verificar se estes não farão mal para os peixes e que são fabricados especialmente para lagos ornamentaos. Geralmente, os algicidas devem ser utilizados em conjunto com um produto clareador, também chamado de floculador. A função do clareador é de aglutinar a sujeira vinda das algas mortas. E com as partículas aglutinadas e maiores, os filtros conseguem captar essas algas com mais facilidade.

A correta aplicação dos produtos é fundamental para um bom resultado

Estes produtos, o algicida e o clareador, possuem uma ordem e forma correta de aplicação independente da marca utilizada. A sequência é a seguinte:

  • Primeiro, deve-se colocar o algicida com todas as bombas do lago funcionando durante pelo menos três horas. Desta maneira, o produto se espalhará por toda água do lago agindo para matar as algas. Principalmente aquelas em suspensão.
  • Após isto, desligar a bomba e colocar o clareador ao longo de todo o lago e deixá-lo agir por uma hora. Assim, ocorrerá a sedimentação e aglutinação da matéria orgânica produzida pelos peixes e das algas mortas.
  • Por fim, ligar todas as bombas do lago para que elas enviem a sujeira sedimentada para dentro do filtro.
  • As bombas e o filtro UV devem ser mantidos ligados 24 horas para que a água se mantenha cristalina.

Um dos erros que acontece é utilizar o clareador com as bombas do lago funcionando. Com o movimento da água, a matéria orgânica não consegue sedimentar e, por fim, a bomba não enviará a sujeira para o filtro. Assim, o lago continuará com a sujeira em suspensão e, consequentemente, esta sujeira se tornará substrato para o desenvolvimento de mais algas. Portanto, seguir a sequência orientada pelos fabricantes é importante para a limpeza do lago.

O uso do filtro UV

Outro erro é utilizar o filtro UV mal dimensionado para a quantidade total do volume de água do lago. Isto acontece quando utilizamos um filtro UV de potência inferior da recomendada pelo fabricante. Muitos filtros UVs chineses ou importados possuem a especificação errada para o clima do Brasil. Por isso, opte sempre por produtos de fabricação nacional. Outro erro é não fazer a reposição da lâmpada do filtro UV no tempo adequado. Ela possui um tempo de vida útil em que a radiação ultravioleta é eficiente e, após isso, perde a radiação gradualmente. As lâmpadas UVs devem ser trocadas de 10 a 12 meses, apesar de poderem continuar acesa por diversos anos, mas sem eficiência.

Bibliografia

Adamse, P.; Britz, S. (1992) Spectral quality of two fluorescente UV sources during long-term use. Photochemistry and Photobiology, 56:641-644.

4 comentários

        1. Wany, se os peixes não estão comendo é possível que a amônia da água esteja alta. Faça uma troca parcial (água sem cloro ou usando o Cubos Water Protect) de 50% e suspenda a ração por uns 7 dias. Vou entrar em contato por e-mail para entender melhor o seu caso.

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios são marcados *