Equipamentos Filtragem do lago

Dosagem UV-C para inativação de microrganismos

2 Comentários

O filtro UV para lagos e aquários é um equipamento que possui a função de eliminar microrganismos presentes na água. Dessa forma, a água fica mais cristalina, pois ele remove as algas verdes em suspensão e, fica também, mais saudável para os peixes já que o filtro UV elimina vírus, bactérias, fungos e protozoário. 

A eliminação ou inativação dos microrganismos se dá através de uma lâmpada germicida que emite radiação ultravioleta com comprimento de onda na faixa de 254 nanometros. A luz com esse comprimento de onda tem a capacidade de alterar o DNA da célula fazendo com que ela não consiga mais se reproduzir. 

 

Como saber se um microrganismo será morto pelo filtro UV?

Cada microrganismo possui uma tolerância diferente à radiação ultravioleta. Alguns são bem sensíveis como o vírus koi herpesvirus que é responsável pela temida doença da primavera em lagos de carpas. Outros são extremamente resistentes como o protozoário Cryptocaryon irritans que causa o íctio em aquários marinhos. Para combater um microrganismo específico é preciso conhecer qual é a dosagem de radiação necessária para elimina-lo. Em seguida, deve ser observado, nas especificações do filtro UV, qual a vazão necessária para atingir essa dosagem. 

No gráfico abaixo, temos um exemplo da dosagem UVC pela vazão. Para eliminar a água verde causada pela alga Chlorella vulgaris, é necessária uma vazão de 800 l/h no filtro UV de 9W da Cubos. Com essa vazão, a dosagem alcançada é de aproximadamente 20mJ/cm2, dosagem essa, suficiente para eliminar 90% dessas algas em somente uma passagem pelo UV. Como em um lago ou aquário o sistema é fechado e a água passa repetidamente pelo filtro UV, essa vazão pode ser bem maior que os 800 l/h para dar um bom resultado.

Cada equipamento terá o a sua própria especificação de vazão para uma certa dosagem. Quando maior a potência maior será a dosagem para uma mesma vazão. Equipamentos de alta qualidade, como os filtros UVs da Cubos, são projetados para otimizar ao máximo a dosagem da radiação. Isso se deve a geometria de construção, lâmpadas de qualidade, cristais de quartzo de alta pureza, reatores especiais entre outros fatores. 

Tabela de dosagens UVC

Abaixo temos uma tabela que apresenta a dosagem necessária para inativar alguns microrganismos. Essa inativação deve acontecer em apenas uma passagem da água pelo filtro UV. Como em lagos e aquários a passagem dá água se dá varias vezes pelo filtro UV, os valores da tabela podem ser considerados com folga na hora de fazer o dimensionamento.

Os estudos de dosagem são feitos em cima de uma porcentagem de eliminação começando por 90% de eliminação e indo para 99%, 99,9%, 99,99% e assim por diante, muito comumente apresentada em redução logarítmica de log 1, log 2, log 3 e log 4 como mostrado na tabela abaixo.

Os valores da dosagem são apresentados em mWs/cm2 ou, igualmente em mJ/cm2

  90% (log 1) 99% (log 2) 99,9% (log 3) 99,99% (log 4)
ALGAS        
Chlorella vulgaris (algas verdes) 12
         
PROTOZOÁRIOS        
Amyloodinium ocellatum 105
Ceratomyxa shasta 30
Costia necatrix 318
Cryptocaryon irritans (íctio marinho) 280
Ichthyophthirius multifi liis (íctio de água doce) 100
Myxobolus cerebralis (TAMs, Whirling Disease) 40
Perkinsus marinus (dermo disease) 30
Sarcina lutea (Micrococcus luteus) 26
Trichodina nigra 159
Trichodina sp. 35  
         
FUNGOS        
Saprolegnia diclina (zoospores) 40 170
         
VÍRUS        
AHNV (Atlantic Halibut Nodavirus) 105
CCV (Channel Catfish Virus) 20
CSV (Chum Salmon Virus) 100
IHNV (Infectious Hematopoietic Necrosis/CHAB) 20
IHNV (Infectious Hematopoietic Necrosis/RTTO) 30
IPNV (Infectious Pancreatic Necrosis Virus) 246
ISA (Infectious Salmon Anemia) 8
KHV (koi herpesvirus) 4
OMV (Oncorhynchus masou Virus) 20
VHS (Viral Hemorrhagic septicemia) 32
         
BACTÉRIAS        
Aeromonas salmonicida 3,6
Bacillus subtilis (spores) 22
BKD (Bacterial Kidney Disease) 60
Flavobacterium psychrophilum (Salmonid Bacterial Coldwater Disease) 126
Listeria monocytogenes 16
Pseudomonas fl uorescens (fin rot) 11
Streptococcus sp. (seawater) 20
Vibrio anguillarum 30
Vibrio sp. (oyster) 155
Yersinia ruckeri 30

Os dados da tabela foram retirados de diferentes estudos e servem apenas como uma referência. 

Fique atento nas unidades de medida da dosagem, que podem variar muito de tabela para tabela e de equipamento de diferentes fabricantes. A comparação deve sempre ser feita considerando uma mesma unidade de medida. A unidade da dosagem ultravioleta sempre será no formado de [ (Watts x segundos) / (área) ]. O (Watt x segundo) pode ser substituído pela unidade J (Joule) que é exatamente o mesmo que (Watt x segundo). A área normalmente será apresenta da em cm2 ou m2. Também é muito comum utilizar o mili Joule (mJ) ou o micro Joule (µJ). 

Outra dica importante é quando for utilizar tabelas que estão escritas em inglês. No inglês a virgula não é a separação da casa decimal, mas sim a marcação do milhar. Em inglês, o número 10,200 tem o valor de 10 mil e duzentos e não 10 virgula 2 como em português. 

 

2 comentários

  1. Boa tarde Caio
    Com esses valores de vazão ficam bem longe da vazão da bomba medusa por exemplo que é 12000 litros. Se eu passar toda a vazão da bomba pelo UV, ele não terá eficiência nenhuma, é isso?
    Preciso colocar o UV em um bypass então para diminuir a vazão pelo UV?

    Quando voc6e diz “os valores da tabela podem ser considerados com folga na hora de fazer o dimensionamento” quer dizer que posso colocar mais vazão no UV? Ou quer dizer que posso colocar menos vazão no UV?

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios são marcados *