Doenças dos peixes

Hidropsia ou ascite em peixes

2 Comentários

Conhecida também como barriga d`água, a hidropsia é uma infecção aguda e grave. Causa acúmulo de líquido livre no interior da cavidade abdominal, provocado por uma somatória de fatores. É uma síndrome, não uma doença, já que pode ter várias causas para o seu surgimento. A família dos ciprinídeos (peixes da família da carpa), são muito suscetíveis a hidropsia ou ascite.

Hidropsia é uma síndrome e não uma doença

O agente mais comumente encontrado são as bactéria do gênero Aeromonas Punctata. Mas, também podemos encontrar as bactérias Pseudomonas, Edwardsiella tardia e Edwardsiella ictaluri. A tuberculose, com seu agente do gênero Mycobacterium, o vírus Rhabdovirus carpio, problemas ovarianos em fêmeas, tumores, constipação intestinal e até mesmo lagos com excesso de nitrato podem favorecer o surgimento desta síndrome.

Uma boa filtragem pode ajudar na prevenção da hidropsia

Um lago com má qualidade de filtragem predispõe ao surgimento e replicação microbiana. A utilização de Filtro UV e Ozônio na filtragem do lago podem trazer inúmeros beneficio na qualidade da água e ajudar muito na prevenção da hidropsia. Isso acontece pois ambos os equipamentos possuem um excelente efeito bactericida evitando com e as bactérias se multipliquem na água do lago ornamental.

Uma boa alimentação para as carpas é fundamental

Alimentos de qualidade devem ser oferecidos aos peixes ornamentais. Estes alimentos devem suprir todas as necessidades nutricionais de um peixe de estimação, que vai ter uma vida longa, diferente da alimentação dada ao animal que vai ser abatido em pouco tempo para o consumo humano (ração de engorda).

As rações devem ser armazenadas de maneira correta em locais livres de umidade e serem consumidas dentro do prazo máximo estipulado pelo fabricante, do contrário, se tornam alvo fácil de replicação microbiana. Este alimento contaminado, se ingerido pelos peixes, podem afetar animais imunossuprimidos, ou seja, animais que não estão com seu sistema de defesa trabalhando adequadamente, causando a hidropsia.

Fique atento para os parâmetros corretos de água

Outro fator fundamental na prevenção é manter os níveis de pH, nitrito, nitrato, amônia e temperaturas ideais para a espécie criada, já que variações bruscas ou com valores inadequados alteram seu metabolismo e diminuem sua resistência imunológica.

Trocas parciais e água e a correta manutenção dos filtros do lago são itens muito importantes a serem observados. Isso porque os microrganismos se proliferam na presença de matéria orgânica dissolvida.

Contágio

Aves que se banham em lagos, podem trazer em suas asas a bactéria ou através de suas fezes que ao cair na água são diluídas. Lagos com elevada população de peixes ou tartarugas causam altos depósitos de matéria orgânica no fundo. Esse depósito cria um habitat próprio para a multiplicação da bactérias de Aeromomas puntata.

Sintomas

Os sintomas encontrados são: inchaço no ventre, lesões em guelras e intestinos, escamas eriçadas, apatia, natação ondulante e dificuldade respiratória devido ao impedimento a livre movimentação do diafragma.

O animal pode nadar em círculos, apresentar falta de apetite e manchas vermelhas. A retenção de líquidos encontra-se nos músculos e na pele do animal. Com a síndrome, o sangue fica aquoso e as proteínas diminuem tirando a vitalidade dos órgãos, podendo aparecer insuficiência renal e cardíaca. A progressão da doença é observada pelas lesões nas guelras e hemorragias repentinas.

O diagnóstico pode ser realizado através dos sinais clínicos apresentados. Pode também ser identificado por análise do liquido coletado por um médico veterinário. Esse procedimento é chamado de paracentese, que é a punção abdominal realizada com uma agulha.

Tratamento

Manter o animal em quarentena, alimentação rica em vitamina A e D, água com boa aeração e sal especial para lagos auxiliam o tratamento.

A queda da temperatura da água pode ser utilizada também como auxiliar do tratamento.  A bactéria Aeromonas Punctata, a mais comum na causa da hidropsia, se desenvolve bem em temperaturas acima de 26ºC. Em temperaturas mais baixas, entre 18, 20°C, o desenvolvimento dessas bactérias pode ser reduzido.

Dependendo do problema ou microrganismo envolvido, um tratamento específico deve ser realizado. Quase sempre é necessário o uso de antibióticos, onde para cada tipo de bactéria existe um antibiótico específico. O ideal é que seja acompanhado por um Médico Veterinário.

Prevenção

O equilíbrio da temperatura é essencial para manter a imunidade do animal. Evitar alta população de carpas e peixes dentro do lago e excesso de alimentação. O excesso de fezes e urina na água formam depósitos excelentes para o desenvolvimento de bactérias patológicas causadoras da hidropsia. A realização de trocas parciais de água, boa filtragem , temperatura, adequação da iluminação artificial (tomar cuidado com a iluminação em excesso), pH compatível e alimentação balanceada.

2 comentários

  1. Em casos da carpa capim, com ascite, escamas soltas e cheiro desagradável nas vísceras. O que é recomendável quanto ao cosumo de sua carne?

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios são marcados *