Construção do lago

Lagos formais: tenha um lindo em sua casa!

Sem comentários

Os lagos formais, também chamados de lagos geométricos, são itens ornamentais que valorizam muito um imóvel por conta da sua grande beleza. Eles adicionam não apenas o aspecto estético a um projeto, mas também uma grande quantidade de vida em forma de plantas, peixes e outros seres vivos nele presentes.

Para isso, deve-se selecionar muito bem as espécies que ali viverão com o objetivo de criar um ambiente harmonioso e que simule com bastante proximidade aquele encontrado na natureza.

Muitas pessoas têm vontade de ter um lago como esse em suas residências, mas não sabem exatamente como. Se você é uma delas, continue lendo este artigo para aprender um pouco mais sobre esse tipo de lago artificial e para saber como ter um na sua casa. Vamos lá?

Mas, afinal, o que são lagos formais?

Lagos formais são lagos artificiais geométricos. Os mais comuns são os com cantos bem definidos, projetados tendo como base o quadrado e o retângulo. Também existem, porém, lagos redondos, triangulares e em formatos de outros polígonos.

É importante salientar que lagos formais são diferentes de espelhos d’água. Os espelhos são tanques onde não há vida, sendo utilizados apenas como valorização do projeto arquitetônico e com o objetivo de refletir o edifício através da água.

Os lagos formais, por sua vez, são projetados para abrigar espécies animais e vegetais e precisam de um cuidado muito maior com relação aos equipamentos hidráulicos, filtragem, revestimentos e até mesmo com a profundidade a ser utilizada para sua instalação.

Isso é necessário para que os peixes e plantas que ali viverão tenham um ambiente agradável que simule as condições encontradas na natureza, garantindo sua saúde e qualidade de vida.

Se comparado aos lagos artificiais mais tradicionais e orgânicos, a principal diferença é o próprio visual retilíneo e moderno — embora os lagos formais também sejam mais comumente construídos de alvenaria, enquanto os tradicionais costumam utilizar geomembrana.

A técnica da geomembrana é mais maleável, por isso é muito mais fácil para produzir formatos orgânicos. Entretanto, a maior durabilidade dos lagos feitos de alvenaria é seu grande diferencial.

Outra diferença acaba sendo a escolha das pedras e das espécies de peixes e outros seres vivos que habitarão o lago, afinal, cada um dos lagos precisa de um acabamento diferente e que se adapte às técnicas utilizadas para sua construção.

A instalação dos lagos formais pode ocorrer tanto dentro quanto fora de uma edificação, havendo um impacto visual muito interessante e contemporâneo justamente por seu formato bem delimitado e geométrico.

Como são construídos os lagos formais?

Antes de mais nada, deve haver um excelente planejamento a respeito do local onde será construído o lago para não haver arrependimentos. Um projeto deve ser elaborado tendo como base as ideias a respeito do seu novo lago formal.

Alvenaria ou geomembrana?

Decidido o local e feito um projeto, chega a hora da decisão entre um lago de alvenaria ou de um com geomembrana. Não existe uma decisão errada a esse respeito e isso vai depender das condições do local. Aqui, continuaremos com o exemplo de um lago feito de alvenaria, que é a opção mais usual para lagos formais.

É necessária a demarcação dos limites na terra para ver exatamente o formato final do lago. Nessa fase são feitos todos os ajustes relacionados à forma e localização do lago no terreno.

Depois, o buraco é cavado e o solo é compactado para receber os tubos antes mesmo da concretagem do fundo. Durante a fase da escavação será prevista uma pequena elevação de 5cm em toda a borda, servindo como barreira natural para escoamento das águas das chuvas.

Após essa fase é desejável acrescentar um revestimento plástico para evitar a perda de água e a contaminação do concreto.

Em seguida é feita a estrutura de aço para que o concreto possa ser recebido na sequência. Um engenheiro ou arquiteto deverá fazer os cálculos para que não haja nenhum problema estrutural no seu lago formal.

A consistência do concreto deve estar perfeita. Se estiver muito úmido acabará ficando poroso e criando pequenas fissuras. Se estiver seco ficará enfraquecido e criará espaços ocos, comprometendo sua resistência e durabilidade.

Feita a concretagem, vem a fase de cura ou secagem do concreto. Na primeira semana ele deve sempre receber água para poder permanecer úmido. Já na segunda semana a absorção de água fica menor, precisando de menos umidade.

A cura é muito importante já que é ela que garante a estabilidade do concreto, bem como sua resistência mecânica e porosidade.

Impermeabilização do lago formal

Depois de curado e seco, o concreto deve ser impermeabilizado. Para isso é adicionado o reboco misturado a um aditivo impermeabilizante.

Feita a impermeabilização é necessário também fazer a vedação das paredes de concreto já prontas para que não haja alterações no pH da água ao entrar em contato com elas. Para isso pode ser utilizada uma tinta à base de epóxi ou fibra de vidro, por exemplo.

Existem produtos no mercado que substituem os aditivos do concreto e as tintas para vedar o contato da água. O mais conhecido é o Ecoply, uma membrana líquida de fácil aplicação, extremamente eficiente e durável.

Fora esse processo há também a possibilidade de fazer os lagos formais com blocos estruturais. O resultado final é o mesmo e também garante toda a segurança e beleza ao seu lago artificial.

Acabamentos do lago

Geralmente a cor final do revestimento dos lagos formais costuma ser preta ou bem escura para que o resultado não perca a estética com a formação natural das algas em seu interior. Depois, costuma-se acrescentar areia no fundo para deixar com um aspecto ainda mais natural.

Filtragem do lago, plantas e peixes

Por último, mas não menos importante, são selecionados os equipamentos, as plantas, as pedras e os peixes que vão povoar o seu lago. Essa decisão é bem importante para criar um sistema coerente em que as espécies vivam em harmonia umas com as outras.

É comum a utilização da espécie de carpas Kohaku, já que suas cores vermelho e branco contrastam bastante com a cor preta do revestimento do lago, criando um belo efeito visual.

Depois de tudo isso pronto é hora de aproveitar o seu novo lago formal e cuidar muito bem da manutenção para que as espécies ali colocadas permaneçam em ótimas condições, conservando o lago sempre belo e cheio de vida.

Agora que você já conheceu um pouco mais sobre lagos formais, aproveite e nos siga também nas redes para estar sempre atento às nossas dicas e novidades. Estamos no sociais FacebookInstagramTwitter, YouTube.

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios são marcados *