Plantas

As 6 categorias de plantas ornamentais que podem ser utilizadas nos lagos artificiais

14 Comentários

Projetos paisagísticos são compostos por vários elementos: plantas ornamentais, pedras, solos, corpos d’água artificiais e naturais. Entre estes elementos, os lagos requerem atenção redobrada. Para dar mais vida e naturalidade ao projeto e ao lago, plantas ornamentais de diferentes tipos e características podem ser utilizadas.

Neste post nós abordaremos a importância do profissional paisagista para a elaboração do lago ornamental e para a escolha das plantas ornamentais. Aqui também falaremos sobre alguns exemplos de plantas para lagos e mostraremos como elas devem ser utilizadas.

Confira!

Qual é a importância das plantas ornamentais para o lago?

Corpos d’água são utilizados em projetos paisagísticos desde a antiguidade. São elementos que trazem requinte e luxo ao ambiente, além de sensação de tranquilidade. A água, devido ao seu grande potencial térmico, ajuda a equilibrar as temperaturas do dia e da noite.

Os lagos e o uso de plantas ornamentais também auxiliam na criação de animais aquáticos, como os peixes, ou subaquáticos, como os patos — pois elas limpam a água e melhoram a sua condição de oxigenação. Algumas plantas também servem de alimento para peixes e outros animais de lago. Elas também atuam como um filtro natural, eliminando ou diminuindo a necessidade da utilização de materiais químicos, como o cloro.

De maneira geral, as plantas ornamentais conseguem dar ao lago uma cara mais “natural”, diferenciando-os das piscinas e espelhos d´água. A inserção de plantas em conjunto a outros elementos, como pedras e animais, é fator preponderante para sua caracterização.

Quais são as plantas para lagos ornamentais e quais são suas principais características?

Existem vários tipos de plantas ornamentais diferentes e elas podem cumprir diversas funções. Algumas são mais indicadas por sua beleza, outras podem ser mais identificadas para limpar e oxigenar a água.

Assim, conhecer as necessidades de cada tipo de planta e suas características é muito importante para que elas se desenvolvam da forma esperada. As plantas para lagos ornamentais são divididas de acordo com as suas características. Elas podem ser:

  • flutuantes;
  • submersas;
  • submersas com folhas emersas;
  • palustres;
  • marginais;
  • anfíbias.

Todas as plantas para lagos contribuem bastante para a qualidade da água represada. Tal contribuição se dá por meio da absorção dos nutrientes que serviriam às microalgas em suspensão, responsáveis pela água verde e também pelo sombreamento que minimiza os efeitos do excesso de incidência solar.

Flutuantes

São plantas que ficam na superfície do lago. As mais comuns são os aguapés, as alfaces-d’água e as lentilhas. Elas só precisam de sol pleno e servem para sombreamento parcial da superfície quando a incidência do sol é muito grande.

As desovas de carpas e kinguios também acontecem em suas raízes. O aguapé e a alface-d’água não se dão bem em água com alta reserva alcalina — ou seja, em lagos de alvenaria sem vedação.

São ótimas para despoluir a água e retirar nutrientes que serviriam para as microalgas verdes. No entanto, são apreciadas como alimento por carpas. Devem ficar separadas desses peixes para evitar transtornos como entupimentos dos filtros, já que os peixes costumam comer as raízes — ocasionando muito sujeira na água do lago.

Submersas

Mais utilizadas em aquários do que em lagos, as submersas como a Elódea, a Valisnéria e a Cabomba não são facilmente visíveis quando se observa o lago — razão pela qual elas não são comumente usadas.

No entanto, elas são muito importantes para a oxigenação da água do lago, mantendo algas e microrganismo nocivos afastados. Caso utilizadas, elas melhoram a qualidade de vida da fauna contida no lago.

Submersas com folhas emersas

Esse tipo de planta necessita de sol pleno e aceita sombra — contudo, não costuma florescer nessas condições. Também é necessário ter uma profundidade razoável, considerando que ela seria plantada em um vaso grande e ainda restaria uma coluna d’água de, no mínimo, 30cm acima do vaso.

O exemplo mais comum é a ninféia. Ela é ornamental, mas precisa de água neutra ou levemente alcalina e substrato fértil. Proporciona muita sombra sem o inconveniente das raízes serem comidas e espalhadas, mas suas folhas têm curta duração.

Além de ter a capacidade de melhorar a qualidade da água, essas plantas apresentam um grande valor estético por conta de sua visibilidade e floração exuberante — por isso, ela é comumente utilizada na composição de lagos ornamentais em parques e zoológicos, por exemplo.

Palustres e marginais

As plantas para lagos marginais preferem locais rasos e oferecem excelente abrigo para a vida silvestre. Já as plantas palustres são características de locais encharcados. No entanto, é normal confundi-las, pois muitas plantas palustres podem se comportar como marginais, invadindo as bordas dos lagos.

Desenvolvem-se a sol pleno ou sombra parcial. As mais comuns são o papirus-gigante, o papirus-anão, a sombrinha-chinesa, a cavalinha, o junco, a taboa, o lírio-do-brejo e o copo-de-leite.

São ótimas plantas para o filtro de plantas e devem, preferencialmente, ser plantadas em vasos para ter a manutenção facilitada e controle sobre o seu crescimento. É preciso colocar pedras sobre o substrato do vaso para evitar que os peixes o revirem.

Anfíbias

Comumente utilizadas em aquários, as plantas anfíbias preferem sombra e meia sombra. Elas se desenvolvem em solo rico e encharcado, mas aceitam imersão parcial ou até total por longos períodos de tempo. Além de muitas outras, podemos citar: anúbias, eleocáris, lírio-da-paz, musgo-de-java, samambaia d’água e singônia.

Graças às suas características singulares, como a fragilidade à exposição solar, as plantas anfíbias devem ser inseridas no lago de forma cautelosa, aproveitando a sombra de outras plantas e árvores ou de elementos artificiais. Por ser uma espécie que apresenta maior necessidade do contato direto com a água, é constantemente utilizada para embelezar o lago, pois apresenta flores que “flutuam” sobre ele.

Como as plantas são utilizadas em lagos?

Engana-se quem pensa que as plantas devem ficar, obrigatoriamente, apenas no interior do lago. Inclusive, sua disposição ao redor pode garantir uma grande sensação de naturalidade a ele. Lagos naturais silvestres geralmente têm uma borda verde que serve como abrigo para diversas espécies e como uma espécie de cerca de proteção.

Ao inserir um cinturão ao redor do lago, você protege as espécies do seu interior e o torna mais natural visualmente. Esse cinturão de proteção suporta outros elementos, como pedras e galhos. Outras estratégias, como a borda em declive, são igualmente importantes para a naturalidade do lago e a proteção das espécies que ali vivem.

Como escolher as plantas ornamentais ideais para um lago artificial?

Essa é uma questão que também necessita do acompanhamento técnico de um profissional. É necessário aliar a estética das plantas ornamentais com a finalidade para qual o lago está sendo construído.

Em uma piscina natural, por exemplo, deve-se optar por plantas com características filtrantes, a fim de tornar a água própria para banho e evitar que ela se torne vulnerável ao surgimento de criadouros de mosquitos da dengue e de outros agentes prejudiciais à saúde humana.

Além do efeito prático, deve-se dedicar bastante atenção à estética das plantas ornamentais para que elas agradem ao cliente e harmonizem com o restante do projeto paisagístico.

Várias plantas podem ser inseridas em seu lago artificial. Entretanto, a escolha não deve ser tomada de forma aleatória, pois algumas plantas não se dão bem com outras e não são indicadas para certos tipos de lago. A escolha deve ser feita de forma cuidadosa e, se possível, com a consultoria de profissionais especializados.

Como realçar as plantas ornamentais no lago?

Agora que você já conhece as plantas ornamentais para lagos e como escolhê-las, que tal ver algumas dicas de como realçá-las em seu lago ou em seu projeto? Assim como em projetos convencionais de paisagismo, a iluminação é um elemento importante para destacar os elementos do projeto.

Existem vários tipos de iluminação e várias formas de utilizá-los em seu lago ornamental. É necessário que a iluminação esteja de acordo com a fauna e a flora contida ali. A escolha das cores deve harmonizar com as cores das plantas e de outros elementos que compõem o lago — como as pedras.

As cores determinam a sensação que o lago passará para o observador. O azul tende a passar uma sensação de calma e equilíbrio. O amarelo e o laranja são cores quentes e passam uma sensação de agitação e excitação. A iluminação verde, por sua vez, está mais ligada à natureza e à cura.

Além das cores, várias estratégias de iluminação podem ser utilizadas:

  • banho de luz: grandes refletores são usados com o objetivo de deixar certos elementos com uma coloração específica, sem destacá-los;
  • iluminação uplight ou downlight: tem como característica o destaque de certos elementos do projeto, com a possibilidade de inserção de iluminação no fundo do lago;
  • balizadores: podem ser colocados em volta do lago, destacando-o como elemento central no projeto paisagístico.

Além das estratégias de iluminação, outras alternativas envolvendo o projeto paisagístico são essenciais para destacar as espécies: desde a colocação adequada das plantas à inserção delas de maneira a privilegiar seu crescimento.

Qual é a importância do profissional no processo de escolha das plantas para lagos ornamentais?

Lagos artificiais são elementos bem complexos dentro do projeto paisagístico e, por isso, a escolha das plantas é uma tarefa igualmente complexa. Não vale a pena arriscar a saúde do seu lago e o investimento: um profissional deve ser ouvido e empresas de renome no mercado devem ser escolhidas para a compra dos materiais. Lembre-se: o barato pode sair caro, com resultados ruins para o lago e para você.

Como vimos, as escolhas das espécies de plantas devem estar em sintonia com o ambiente projetado. Assim, as mudas devem ser adquiridas somente após o planejamento do lago. Dessa forma, com a escolha adequada das plantas ornamentais, seu lago artificial tem tudo para ficar harmônico, bonito e contribuir para a sua saúde e qualidade de vida.

Gostou deste post? Que tal ler mais sobre esse assunto no nosso guia sobre lagos artificiais para iniciantes? Até breve!

14 comentários

  1. Boa tarde!
    Dentro do lago vou usar papirus, nhame e aguapés, minha duvida é em relação às bordas do lago, quais plantas eu posso utilizar nas bordas?

  2. Meu lago é de alvenaria. Está com umas 10 carpas. 3 mil litros na totalidade. O que indica para ajudar na procriação e deixar bacana ?

  3. As plantas se renovam a medida que se desenvolvem. Elas largam folhas velhas, peles e tal. Os restos não comprometem a qualidade da água ao se decomporem?

  4. Caio, vi aqui nos comentários que vc responde legal.parabens.
    Estou montando meu lago e ficou exagerado, estou vendo tudo que é tipo de video sobre filtragem e já estou zonzo de tanta informacao e nao sei o q fazer. Meu lago vai ter 23 a 24 mil litros. 8×3 metros por 90 a 100 cm de profunidade, descontando as pedras.
    Preciso de ajuda e indicaçao no filtro.
    Qual mídia comprar? Perlon ou espuma biológica? Onde uso o carvão ativado? E o filtro UV estou querendo fazer em uma bombona grande de 200 litros?
    To perdidao
    Help-me

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios são marcados *